sábado, 31 de março de 2012

O DIÁLOGO DA CRUZ E O REINO ESQUECIDO

O vitupério no madeiro do Monte Calvário delineava-se para o seu epilogo. Um célebre e inusitado diálogo iria permear os crucificados naquele momento de extrema dor. O seu contexto iria impactar a humanidade, ecoando entre os séculos, chegando aos nossos dias.

Acreditamos que entre gemidos de dor, um dos malfeitores, de uma das extremidades do trio crucificado, blasfema, proferindo (segundo São Lucas 23:39) as seguintes palavras:

“Se tu és o Cristo, salva-te a ti mesmo, e a nós”.

Antes que o Senhor Jesus Cristo externasse a sua resposta, entre pondo-se o outro veio a repreender-lhe acintosamente:

“Tu nem ainda temes a Deus, estando na mesma condenação? -  E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que os nossos feitos mereciam; mas este nenhum mal fez”.

O reconhecimento notório e repentino do transgressor desconhecido, de que eles na verdade eram réus de juízo, mas, O Príncipe da Paz era em verdade o inocente no meio deles, veio como uma mostra de que mesmo em situações extremas de adversidade, sempre haverá uma testemunha fiel a outorgar-lhe a devida fé.

Em um momento digno de revelação divina, aquele interlocutor iria proferir um dos maiores sensos profético da bíblia, no reconhecer que Aquele inocente pendurado no madeiro era também o Salvador do mundo. E com isso, aquela era uma oportunidade impar de pedir-lhe a redenção de sua alma.

"E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino."  (Lucas 23 : 42)

Aquelas singelas palavras de reconhecimento ao Salvador, iria lhe abrir as portas do REINO DOS CÉUS para sua alma que estava perdida, e que veio pela sua CONFISSÃO DE FÉ alcançar o êxito de estar em celeste pátria, aguardando junto com os demais para receber os louros quando da RESTAURAÇÃO DO REINO DE DEUS.
  
“E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso”.

Um novo e vivo caminho havia sido aberto pelo Seu sacrifício, a todo aquele que Nele cresse. A porta do Reino dos Céus ao Paraíso, a partir daquele momento foi inaugurada pelo transgressor da cruz, e também da mesma forma nos foi confiada na sua morte e ressurreição ao terceiro dia.

O REINO ESQUECIDO:
Desde então, o Reino dos Céus vem sofrendo ataques em tentativas de apossarem-se dele pela força e pela violência. Porém, o que mais tem entristecido a Deus, é O ESQUECIMENTO da Mensagem da Cruz; do Diálogo da Cruz, por muitos daqueles que se chamam pelo seu nome.

Nunca devemos esquecer-nos que o Príncipe herdeiro, da descendência de Davi já detém todo o poder e a autoridade nos céus e na terra. Que no sofrer as agruras do madeiro, veio a ressuscitar dentre os mortos e vivo está para interceder por nós para todo o sempre.

"LEMBRA-TE de que Jesus Cristo, que é da descendência de Davi, ressuscitou dentre os mortos, segundo o meu evangelho;"  (II Timóteo 2 : 8)

É preciso lembrar-se de todas as palavras as quais o Senhor nos recomendou que ás guardasse:

"LEMBRA-TE, pois, do que tens recebido e ouvido, e guarda-o, e arrepende-te. E, se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei."  (Apocalipse 3 : 3)

É preciso lembrar onde estamos errando, para que o Senhor não retire o nosso nome do Livro da Vida:

"LEMBRA-TE, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres."  (Apocalipse 2 : 5)

É preciso lembrar do nosso Criador ainda na nossa mocidade:

"LEMBRA-TE também do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais venhas a dizer: Não tenho neles contentamento;" (Eclesiastes 12 : 1)

SENHOR, LEMBRA-TE DE NÓS PECADORES, segundo a sua boa vontade, não Te esqueças de nós que te amamos a Ti, a Teu Filho e ao Divino Espírito Santo e não nos deixe cair em tentação, mas livra-nos do mal; porque, Teu é o poder, a honra e a glória para todo o sempre. Amém

"LEMBRA-TE de mim, SENHOR, segundo a tua boa vontade para com o teu povo; visita-me com a tua salvação."  (Salmos 106 : 4)

Lembramos de tantas coisas. as quais nelas não estão inseridas aquelas do Reino de Deus. Lembramos de festas, aniversários e presentes; do nosso bem estar, daquilo que queremos, sonhamos e almejamos. Porém, estamos esquecendo-nos do Príncipe da vida e do seu sacrifício vicário na Cruz do Calvário
Que neste pequeno momento de reflexão, possamos estar imbuídos de uma mesma fé, de um mesmo amor, e de um mesmo Espírito no Senhor Jesus Cristo, para adentrarmos as mansões celestiais naquele DIA DE SUA VINDA.


Luis D. Oliveira