sexta-feira, 9 de março de 2012

PASSOU DOS LIMITES

A CASA CAIU

A revista VEJA edição nº 2253, de Janeiro de 2012 estampa em sua capa uma triste realidade interrogativa: "PASSOU DOS LIMITES" e em um dos seus subtítulos a de:  "A CASA CAIU". Onde enfoca as mazelas deprimentes de imoralidade  que se encontra a mídia brasileira em suas programações de entretenimentos. A sociedade  que ainda detém os princípios do que é bom e agradável a todas as idades, está atônita quanto  aonde vai parar este descontrole televisivo na falta de ética, pudor e sensualidade. A devassidade saiu das quatro paredes e está em muitas vezes ao vivo e a cores exposta nas salas das famílias, até nos mais simples diálogos de seus integrantes; perdendo os seus limites, alardeando a promiscuidade.

Na página 12 desta revista, artigo  "Carta ao Leitor" de título, "Uma Linha Divisória" retrata em uma figura: "Cenas de sexo na televisão testam o grau de tolerância da audiência, que reage quando há abuso.

Na mesma página transcrevemos na integra parte da brilhante opinião jornalistica que havia chocado a audiência, assim descrita:

Razões:
(...). A primeira é o fato de ele não saber diferenciar muito de outras cenas que há tempos deixam a temperatura tórrida no campo dos costumes na televisão brasileira, seja em novelas, em programas humorísticos e até nos vespertinos dominicais. A segunda é mais abrangente e diz respeito à noção amplamente aceita de que vivemos hoje em um mundo onde a privacidade morreu, vítima da desinibida troca de informações pessoais e de imagens íntimas via redes sociais da internet, que já conectam mais de 1 bilhão de pessoas em todo o planeta. mesmo assim, o episódio do BBB chocou a audiência.

A reportagem de VEJA conta o que realmente se passou debaixo dos edredons na casa onde o "brothers" e "sisters" do BBB estão confinados e analisa as escolhas ousadas que vem sendo feita pela televisão no Brasil e no mundo em um momento de acirrada concorrência pela atenção  da audiência, o que funciona como incentivo ao vale-tudo. Fica claro que o grande fator de inibição das baixarias não são as agências oficiais, mas a própria opinião pública, que mesmo bombardeada diariamente por estímulos cada vez mais chocantes, insiste em permanecer, na média, mas conservadora do que os autores de novelas e programas. Ela sabe quando a linha divisória entre o aceitável e o abjeto é  cruzada e reage negativamente. 

No caso do BBB, na semana passada essa linha divisória foi atravessada. Diz isabela:"O beijo mais casto já foi considerado imoral no cinema dos anos 30 e hoje a nudez parcial e as cenas que evocam o ato sexual são comum nas telas. Mas essa mudança não significa que é uma questão de tempo para que todos os limites sejam ultrapassados e o sexo explicito passe a ser visto com naturalidade". 

Na página 85:
Na TV, a linha que separa o simples do mau gosto da transgressão inaceitável de limites éticos é muitas vezes indefinida e turva - na verdade, parece mesmo nem existir mais. Mas a indignação massiva dos cidadãos que vivem a cena na madrugada ao vivo ou pela internet sinaliza de modo inequívoco que o público sabe, sim, decidir onde fica essa fronteira - e avisou que o BBB ultrapassou.


Nos congratulamos ao excelente trabalho jornalistico descritivo da Revista Veja,  do quanto a imoralidade é propagada nas mídias massivas, sem controle e sem fiscalização dos órgãos apropriados. Com isso, vemos que nós cristãos ainda damos créditos a instituições que só vem a deturbar a moral e os bons costumes, infringindo a lei divina do não passar pelos teus olhos nem mesmo a aparência do mal (I Tes. 5:22).


SODOMA E GOMORRA PASSOU DOS LIMITES E A CASA CAIU
Da mesma forma que Sodoma Gomorra infringiram as leis divinas, levando o seu povo a uma condenação de morte pelo  fogo e enxofre, nos mesmos moldes daqueles dias, e até abusivamente além estão nos dias de hoje os midianitas propagando a fornicação como um ato legitimante correto. A contaminação da carne é a condenação  da alma e do espirito como bem versa na Bíblia Sagrada:


"Assim como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se entregue à fornicação como aqueles, e ido após outra carne, foram postas por exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno.
E, contudo, também estes, semelhantemente adormecidos, contaminam a sua carne, e rejeitam a dominação, e vituperam as dignidades. JUDAS 1:7 e 8"

O mesmo senso de justiça reservado por Deus para os dias de ontem, o serão os dias de hoje, e de amanhã. Por isso a palavra divina nos diz que devemos guardar  o que temos para ninguém tome a nossa coroa.

A primeira foto acima é meramente ilustrativa cooptada de um fato de  2004 em Campinas, SP. Veja no link abaixo.
http://www.rac.com.br/noticias/campinas-e-rmc/102002/2011/10/18/moradores-do-von-zuben-esperam-7-anos-por-indenizacao.html

QUEM IRÁ NOS INDENIZAR PELOS ESTRAGOS DA ANTENA CAÍDA?
Na primeira foto ilustrativa, enfoca uma antena caindo e destruindo as casas, os lares. Assim também o é com as mesmas antenas que teem caído sobre os lares com programas promíscuos ensinando a destruir as famílias, deixando os filhos sem pai ou mãe, desvirtuando a moral e os bons costumes.

Quem irá nos indenizar de semelhante processo degenerativo?

Comente, expresse a sua opinião neste blog, neste artigo.