terça-feira, 13 de março de 2012

A ALMA NO VALE DA TEMPESTADE


AINDA HÁ ESPERANÇA

Noite fria, céu cinzento, a chuva fina na vidraça espelha as lágrimas da alma. Um misto de dor e angustia aperta o peito e inebria os pensamentos. O descompasso do coração prenuncia a mais uma noite amarga. A esperança para a vida olhada ao longe, não passa de uma quimera.

No presente, os sonhos são parte de um passado distante. Quem dera que alguém lhe ouvisse os  anseios e lhe desse um fio de esperança? – Quem dera que a confiança não fosse somente apenas uma palavra de auto-ajuda? – Mas que fosse como o relâmpago que corta as noites escuras das tempestades, mostrando os contornos de um caminho ao longe, porém, atingível.

Quem dera que no labirinto do vale se achasse uma saída para uma vida a beira do abismo?

É nesta hora em que nos parece que o fim está destinado, que nos lembramos das serenas e meigas palavras do Senhor Jesus Cristo dizendo:

“Vinde a mim todos os que estais cansados e oprimidos e EU vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim que sou manso e humilde de coração e encontrareis descanso para as vossas almas”.



Que mesmo que estejamos no vale da sombra da morte, não temeríamos mal algum, pois ELE está comigo e bem ao alcance da minha mão. Porquanto, elevo os meus olhos ao Senhor e clamo por socorro, que ELE fortalecerá o meu espírito, derramando o bálsamo em minha alma, delineando um novo amanhã. Porque, tudo é possível a aquele que crer.

Ainda há esperança; não temas, HAVERÁ PAZ NO VALE; levante e prossiga porque o Senhor é contigo. O choro pode durar uma noite, mas, a alegria vem pela manhã.



Comente, divulgue, salve uma alma e te será perdoado uma multidão de pecados (Tiago 5:19,20).