quarta-feira, 31 de outubro de 2012

GUERRA SANTA ECLODE NA WEB COM SALVE JORGE COMO DITO: "VIVA OGUM"

Há uma guerra silenciosa na Web. Em vez de armamentos belicosos, com mortos e feridos para todos os lados, está o tilintar dos dedos sobre os teclados em uma guerra santa de palavras e explicações de cada lado.

A grande questão reside na engenharia da sublimação, onde a mensagem oculta atinge o seu alvo sem que a vítima possa se dar conta; assunto sobre o qual já há tempos viemos alertando em um post de nosso blog:

http://luisdornelesdeoliveira.blogspot.com.br/2012/08/a-mensagem-subliminar-e-sublimacao-nos.html

O que está por trás dos ícones mensageiros é muito bem articulado nos mínimos detalhes, pois neles estão alicerçados o êxito do empreendimento. Nada no mundo da propaganda o é inocente ou é só por ser belo; mas, por estratégia de marketing no público alvo. Diríamos que as coisas vão muito além do jardim, da igreja e da esfera das transparências. Os segredos são trabalhados habilmente no subconsciente.

A engenharia da comunicação, da informação e da publicidade tem os seus métodos operacionais voltados para cada segmento o qual forem contratados. Dizer que isto é uma inverdade é apostar na ignorância do povo brasileiro.

MAS, vamos aos fatos aos quais cooptamos, e neste post os transcreveremos como foram concebidos, junto os quais o seu link de origem. 

"SALVE JORGE" OU ADORADORES DE OGUM?: NOVELA CAUSA GUERRA SANTA NA INTERNET
http://www.paraiba.com.br/2012/10/31/49683-salve-jorge-ou-adoradores-de-ogum-novela-causa-guerra-santa-na-internet


Se São Jorge, o santo guerreiro, tivesse perfil no Facebook, ele estaria pronto para a batalha instaurada nas redes sociais desde a estreia de “ Salve Jorge ”, nova novela das 21h da TV Globo. De um lado, os evangélicos criticam fervorosamente a temática da trama de Glória Perez - que faria homenagem ao orixá Ogum, correspondente a São Jorge na umbanda e no candomblé no sincretismo religioso. Do outro estão os devotos do santo homenageado, que rejeitam as observações contrárias ao folhetim.


O Pastor da igreja Assembleia de Deus, em Jundiaí (SP), José Donizeti divulgou em seu perfil no Facebook uma imagem onde aponta algumas mensagens supostamente subliminares que estariam contidas na logomarca da novela. 

Segundo o religioso, as duas pedrinhas vermelhas colocadas ao lado da palavra “salve” simbolizam a união dos orixás e a adoração a entidades espíritas.

O NOME DA NOVELA

“Na verdade, o nome desta novela é ‘Adoradores de Ogum’!”, alerta o pastor na imagem, que já contabiliza incríveis 52 mil compartilhamentos. “Aí vai o alerta para você. Depois, se sua vida começar a ser amaldiçoada por assistir este lixo, não reclama que Deus não te avisou!”, completa.


O QUE DIZ O PRESIDENTE DA FEDERAÇÃO BRASILEIRA DE UMBANDA

Manoel Alves de Souza, presidente da Federação Brasileira de Umbanda, classifica o movimento dos evangélicos de “uma sandice desses indivíduos”. Ele explica: “Não tem nada a ver. Na verdade, a umbanda não adora o orixá. Ela trabalha com os orixás e os respeita. Esse negócio de adoração está na cabeça deles. Trabalhamos com os orixás, com os elementos da natureza”. Ao falar sobre as pedrinhas mencionadas pelo pastor, assevera: “Nunca reparei nessas pedrinhas, vou procurar para ver se descubro. Isso é crendice, especulação”, diz. “A novela é uma homenagem merecida. Ogum é um orixá muito importante para a umbanda e o candomblé. É o orixá que vence demandas. É um guerreiro, forte, que combate o mal”.

Tire você mesmo às suas conclusões