terça-feira, 9 de outubro de 2012

SANGUE, SUOR E LÁGRIMAS


Algo nascera naqueles dias o qual transformava as pessoas, convertia vidas, libertava, curava e batizava com o Espírito Santo. A semente do evangelho crescia desmedidamente e sem o controle do mesmismo. O impacto estava sendo letal ao ritualismo; ao Conselho dos Anciãos (Sinédrio); ao farisaísmo; ao saduceísmo e às demais seitas judaicas que estavam em alvoroço, pois a sua hegemonia e influência estavam desmoronando.

O povo estava ficando refém desta nova semente que espraiava-se como o vento no deserto. No templo, Sinagogas, praças e as demais pontos de encontro, o tema era só um: "Jesus Cristo, o filho de José havia ressuscitado, andado com os seus discípulos e subido aos céus. O seu evangelho, agora como nunca estava fora do controle daqueles que queriam silenciá-lo".

Era preciso ter coragem não só para viver o evangelho, mas também para divulgá-lo. A vida era o que menos importava, pois o viver era pra Cristo e o morrer era ganho. Não negá-lo era uma condição plena de fé, mesmo que isso lhe custasse a vida.

Os heróis da fé neotestamentária derramaram o seu suor; ás suas lágrimas e o seu sangue para que a Semente do Evangelho chegasse aos nossos dias. A estes heróis da fé, os quais um dia veremos em celeste pátria, deixamos como exemplo o seu registro na pessoa de Estevão:


A HISTÓRIA BÍBLICA DE ESTEVÃO
7  E crescia a palavra de Deus, e em Jerusalém se multiplicava muito o número dos discípulos, e grande parte dos sacerdotes obedecia à fé.
8  E Estêvão, cheio de fé e de poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo.
9  E levantaram-se alguns que eram da sinagoga chamada dos libertinos, e dos cireneus e dos alexandrinos, e dos que eram da Cilícia e da Ásia, e disputavam com Estêvão.
10  E não podiam resistir à sabedoria, e ao Espírito com que falava.

11  Então subornaram uns homens, para que dissessem: Ouvimos-lhe proferir palavras blasfemas contra Moisés e contra Deus.
12  E excitaram o povo, os anciãos e os escribas; e, investindo contra ele, o arrebataram e o levaram ao conselho.
13  E apresentaram falsas testemunhas, que diziam: Este homem não cessa de proferir palavras blasfemas contra este santo lugar e a lei;

54  E, ouvindo eles isto, enfureciam-se em seus corações, e rangiam os dentes contra ele.
55  Mas ele, estando cheio do Espírito Santo, fixando os olhos no céu, viu a glória de Deus, e Jesus, que estava à direita de Deus;
56  E disse: Eis que vejo os céus abertos, e o Filho do homem, que está em pé à mão direita de Deus.
57  Mas eles gritaram com grande voz, taparam os seus ouvidos, e arremeteram unânimes contra ele.
58  E, expulsando-o da cidade, o apedrejavam. E as testemunhas depuseram as suas capas aos pés de um jovem chamado Saulo.
59  E apedrejaram a Estêvão que em invocação dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito.
60  E, pondo-se de joelhos, clamou com grande voz: Senhor, não lhes imputes este pecado. E, tendo dito isto, adormeceu.

Da semente do sangue dos heróis verteu o evangelho do Senhor Jesus Cristo:




Hoje, ás facilidades para divulgar este evangelho são muitas na grande maioria das nações da terra. No entanto, ele em partes, só o é pregado nas suas amenidadesusufruímos e materialismo. Para o que veio, para o seu fim que é o "Nascer de Novo", tanto da água como o do Espírito muito pouco é lembrado.

O sangue do Senhor Jesus Cristo e dos heróis da fé clama pela sua legitimidade; clama pelo seu esforço e pela sua equidade.

Que este sangue não tenha sido vertido em vão, mas que o seja honrado, lembrado e que o verdadeiro evangelho seja de novo pregado.