quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

A HISTÓRIA SECRETA DA RENÚNCIA DO PAPA BENTO XVI




Dentre tantos outros artigos relativos à renúncia do papa Bento XVI ao qual está envolto em uma nuvem obscura de sérias acusações, trouxemos um breve resumo de um dos principais sites a divulgar o controverso episódio descrito ao todo no link abaixo:


Aos autores do mesmo sejam dados todos os créditos e méritos pela parte do artigo aqui divulgado; sem tirar e nem colocar uma virgula sequer do original.

NO SITE CARTA MAIOR

NO SEU INÍCIO
Internacional| 14/02/2013 | Copyleft
A história secreta da renúncia de Bento XVI
Mais do que querelas teológicas, são o dinheiro e as contas sujas do banco do Vaticano os elementos que parecem compor a trama da inédita renúncia do papa. Um ninho de corvos pedófilos, articuladores de complôs reacionários e ladrões sedentos de poder, imunes e capazes de tudo para defender sua facção. A hierarquia católica deixou uma imagem terrível de seu processo de decomposição moral. O artigo é de Eduardo Febbro, direto de Paris.

Eduardo Febbro

NO MEIO

Paris - Os especialistas em assuntos do Vaticano afirmam que o Papa Bento XVI decidiu renunciar em março passado, depois de regressar de sua viagem ao México e a Cuba. Naquele momento, o papa, que encarna o que o diretor da École Pratique des Hautes Études de Paris (Sorbonne), Philippe Portier, chama “uma continuidade pesada” de seu predecessor, João Paulo II, descobriu em um informe elaborado por um grupo de cardeais os abismos nada espirituais nos quais a igreja havia caído: (Ler no original).

NO SEU FINAL
Mais do que querelas teológicas, são o dinheiro e as contas sujas do banco do Vaticano os elementos que parecem compor a trama da inédita renúncia do papa. Um ninho de corvos pedófilos, articuladores de complôs reacionários e ladrões sedentos de poder, imunes e capazes de tudo para defender sua facção. A hierarquia católica deixou uma imagem terrível de seu processo de decomposição moral. Nada muito diferente do mundo no qual vivemos: corrupção, capitalismo suicida, proteção de privilegiados, circuitos de poder que se auto alimentam, o Vaticano não é mais do que um reflexo pontual e decadente da própria decadência do sistema.


Tradução: Katarina Peixoto


Há que se orar muito pelos inocentes atingidos "se" por desventura se comprovar este indesejado episódio. A todos eles o nosso apreço de conforto e de esperança por dias melhores.