terça-feira, 11 de junho de 2013

DEMONSTRE




Tantas são as coisas que nos inebriam a  mente na procura de um porto no mar da vida. Vagamos insones procurando respostas as quais dariam um sentido ao texto em seu contexto.

As multiformes do amor, são as coisas que mais buscamos entendê-las neste mundo de ilusões e desencantos.

Quem tem o amor, vive, ama e é amado. Quem não o tem, vaga a deriva no mar da existência sem saber o seu destino.

Do que adiante dizer palavras belas se não temos amor por elas? - Do que adianta viver sem sentir, e amar sem sorrir?

Tudo há que se ter um sentido; um sentimento e uma razão. As coisas mais puras tem que vir do coração.

A profundidade nos leva ao apego, e isto pode nos elevar a patamares nunca dantes alcançados. O contrário, na superficialidade, não há amor, carinho ou afeto, está mais perto da falsidade.

Quantas vezes nos vem a lembrança dos tempos da infância, nos desejos incontidos de estar junto a algo ao qual queríamos do fundo da alma?

As paixões iam e vinham aos borbotões. Mas, elas passaram, e o vazio do tempo assumiu o seu lugar em nossas existências.

Na verdade como é gerado o amor?

DEMONSTRE
Certo dia debatia-me na procura dos porques? - De como poderia amar certas situações se não tinha amor pra dar? - Lembrava-me da máxima que só pode dar quem tem! - Quem não tem, não pode dar.

Pensava que fora da sinceridade sempre seria hipocrisia. Que a falsidade do dizer que ama sem sentir, era a mesma coisa do só falar, do só mentir.

Quando então, uma voz falou em minha alma: "DEMONSTRE!"

Custei a entender a voz da razão divina que falava-me ao coração, dizendo que se não tenho amor por algo é É PRECISO DEMONSTRAR para tê-lo.

Entendi que "PARA TER", é PRECISO PLANTAR; pois como poderia colher, sem antes dar? A lei da SEMADURA estava justificada e arragaida no lançar o pão do amor sobre às águas para que um dia fosse colher os frutos dela.

Aquilo certamente nos abriria a porta do entendimento da razão divina que: sem amor não se pode viver, subir e até sofrer.

Deus nos amou primeiro dando o seu Unico Filho.
Que três coisas são as que ficam: A FÉ, A ESPERANÇA E O AMOR, mas, o mais importante das três é o AMOR.

Devemos tratar bem sem olhar a quem! - Velhos, novos e crianças; bichos, faina e até os inimigos.

O ódio, a ira e a  contenda, são coisas inviáveis, e isto é necessário que de todas elas nós aprenda, QUE: "O MAIS IMPORTANTE DE TUDO É O AMOR". 

Para gerar o amor é preciso demonstrar, para plantar e depois colher.