quinta-feira, 27 de junho de 2013

GUERREIROS DO AMANHECER

Muito além do mundo real está o mundo espiritual. A batalha é ferrenha, só ouve-se o tilintar de espadas. A luta não é contra o sangue e nem contra a carne, mas sim contra as hostes infernais da maldade nos lugares celestiais.

O revestimento do guerreiro da Espada do Espírito é notório pela bravura que enfrenta o adversário em uma batalha sem igual. O capacete  da salvação resplandece na escuridão das trevas; só o escudo da fé pode manter-lhe sóbrio e vigilante, em meio ao ataque feroz dos dardos do inimigo.

No entanto, ele calçara os pés na preparação do Evangelho da Paz e purificara a alma por antecipação para esta peleja. Com isso, mesmo que o inimigo venha rugir-lhe como um leão procurando alguém a quem possa tragar, o guerreiro do amanhecer permanece em pé, com os filhos fixos no Rei dos reis, o autor e consumador da fé.

Ele sabe que a luta e o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã. Porquanto, o Leão da tribo de Judá vem em seu socorro, permeando o seu povo com a esperança da vitória.

Os louros da vitória e a coroa de glória ele receberá nas Bodas com o Cordeiro.

QUEM TEM OUVIDOS OUÇA O QUE O ESPÍRITO DIZ ÀS IGREJAS
Eis que os dias são de trevas nas ofertas de Jezabel; na mesa do príncipe da Babilônia; nas capas de Acã e nas ganâncias  de Geazi.

As Dalilas estão a derribar os Sansões da fé. Os Judas estão vendendo ao Senhor Jesus Cristo por muitas moedas de ouro e a Casa do Senhor não é mais a Casa de Oração.

Os filhos de Eli estão derrubando o pai da cadeira e o Livro da Lei está sendo perdido dentro de casa. Assim caminha a humanidade dita cristã para o derradeiro fim. Porquanto, já Icabodes estão nascendo sem a Glória do Pai.

No entanto, é preciso guardar o que temos para que ninguém tome a nossa coroa; é preciso vigiar e o que está de pé cuide-se para que não caia; pois o justo viverá da fé.

AINDA HÁ UMA ESPERANÇA
Antes que venha o Dia de Cristo e o terrível  Dia da ira do Senhor é preciso obrar sempre na reconstrução do nosso  templo.

Conquanto, "se" o reconstruirmos, purificarmos o nosso altar para sermos adoradores por excelência em toda a boa obra do Reino do Senhor.

Porquanto, a Glória do segundo templo reconstruído será maior que a do primeiro; e acima de tudo isso, teremos o nosso nome escrito no Livro da Vida, e quiçá na Galeria dos Heróis da Fé.