sexta-feira, 5 de julho de 2013

EM BUSCA DA IDENTIDADE E DA ARCA PERDIDA

Uma História Verídica:

Certa pessoa nascera em berço cristão; vivera parte de sua vida voltada para o primeiro amor o qual fora abundante e próspero na sua vida.

O tempo foi passando e o que era foi ficando no saudosismo dos tempos de outrora. As estacas as quais firmara a sua tenda foram aos poucos sendo derribadas uma a uma. Os ventos dos tempos hodiernos lhes tomaram o coração e o tão QUERIDO PRIMEIRO AMOR foi sendo perdido no vazio do tempo.

Novos vizinhos foram chegando, ainda que não tão novos assim, pois saíram do meio de nós, e o molde das estacas destes foram copiadas, e as suas próprias bases (estacas) foram esquecidas na estrada da vida.

A transformação fora tamanha que a imagem do passado era só uma caricatura sombreada da pessoa que fora.

As suas operações, a glória de sua casa saíra pela porta do oriente nas asas da solidão. Porquanto, o esquecido e abandonado PRIMEIRO AMOR, triste partira para não mais voltar, se não houver um arrependimento sincero e verdadeiro.

A identidade fora perdida e a arca da aliança firmada no coração, fora parar na casa do passado de Obede Edom.

Porquanto, para se perder a Arca da glória do Senhor, primeiro se perde a identidade.

EM BUSCA DA IDENTIDADE E DA ARCA PERDIDA
A esperança é que a glória da segunda casa será sempre maior do que a primeira. A confiança é que sempre terá os fiéis da terra que não se corrompem com a mesa oferecida pelo príncipe deste século; e que estes estão firmados os olhos no autor e consumador da fé, estão em busca da identidade perdida.

Verdadeiros heróis sem medalhas dobram os joelhos e sacrificam a carne na luta quase inglória em busca da Arca Perdida.

Os heróis e as heroínas da fé em seus círculos de oração, nas campanhas evangelísticas irão levantar os seus estandartes para arregimentar soldados para esta batalha que não é contra o sangue e nem contra a carne.

O NOSSO PRIMEIRO, grande e ÙNICO AMOR haverá DE NOS SER FIEL nesta guerra da luz contra ás trevas. Onde há união é porque haverá obediência, disciplina e coragem para esta cruenta batalha que  quer impedir-nos de chegar a cidade santa, a Nova Jerusalém.

É preciso dar o brado, empunhar a Espada do Espírito e o escudo da fé para dizer que as portas do inferno não podem prevalecer contra a igreja do NOSSO QUERIDO E AMADO SENHOR JESUS CRISTO.

A todos que participarem desta batalha de amor e gratidão, em nome do Senhor dos céus e da terra, podem até não ter os seus nomes escritos na história, mas os terão NO LIVRO DA VIDA.

Ao Senhor Jesus Cristo sejam dadas todas as honras e glórias assim na terra como céu.

Assim me veio, assim o escrevi.

Post liberado para cópias sem restrição.