segunda-feira, 19 de agosto de 2013

JOGOS DE GUERRA

As fronteiras que dividem a virtualidade da realidade não são mais distinguidas pela percepção humana. Tem horas em que o virtual interage como se literal fosse e vice-versa.

O instinto de matar está sendo fomentado na virtualidade para interagir na realidade. As mentes já na sua tenra idade são treinadas para competir em batalhas de vida ou morte.

Contra os dados não há contestação; e neles vemos a proliferação da violência urbana onde a personagem assumida no mundo virtual  está matando no mundo literal. Os status dos Seriais Killers do mundo virtual estão em alta no mundo atual. 

Os jogos de guerra estão a cada dia mais sofisticados e presentes entre crianças, adolescentes, jovens e adultos. Conquanto, a violência deste letal entretenimento está deformando as índoles em formação e deteriorando as já formadas.

O BEM E O MAL
É pelos frutos que se conhece a árvore:

"Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos?"  (Mateus 7 : 16)

Não pode haver concordância entre o bem e o mal, entre a luz e as trevas. Porquanto, todo aquele que faz uso das coisas das trevas, dela colherá o seu fruto.

O que é bem é bem, e o que é mal é mal. Se nós invertermos esta condição seremos réu de juízo, pois pela palavra divina já estamos julgados:

"Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo!"  (Isaías 5 : 20)

Porque, temos por certo que um abismo chama outro abismo. Com isto, ainda é tempo de verificarmos o que as nossas crianças estão jogando, pois a vida pode estar sendo   jogada fora nos jogos indevidos.

Tirem os nossos filhos dos jogos de violência para que ela não tire eles de nós.