segunda-feira, 28 de outubro de 2013

ESCAVAR COM LÓGICA

Removendo as cinzas do passado encontramos os vestígios de uma verdade expressa que não se pode esconder:

Por mais que a incredulidade possa emitir os seus conceitos degradando a Bíblia Sagrada, ela permanece incólume em seu trajeto, na fidelidade dos seus registros.

A cada dia que passa a arqueologia vem trazendo ao lume os vestígios daquilo que ela disse, diz e afirma.

Porquanto, por mais que queiram enterrá-la, a terra a devolve nos seus pormenores.

ENTERRO DO PASSADO
Estamos enterrando o nosso passado daquilo que fomos para viver um presente que está ausente da presença divina.

O primeiro amor foi trocado, e a inovação é o norte a ser buscado, enquanto o que éramos nem é mais lembrado.

Deixamos a arqueologia da revelação divina para acreditarmos no alguém disse, pois ele é estudado.

Deixamos a graça da busca, do louvor e da adoração para vivermos só na aparência do éramos e que agora não somos.

Agora, em vez dos incrédulos é o povo divino que não acredita  mais nas histórias do seu passado.

Naqueles tempos o Senhor Jesus Cristo operava poderosamente, onde o cativo era efetivamente liberto e os enfermos eram progressivamente pelo Senhor Jesus Cristo curados.

O templo se enchia da glória, batismos com o Espírito Santo eram  confirmados.

Que saudades, que saudades do passado.

É PRECISO ESCAVAR COM LÓGICA
Ainda é tempo de reconciliação; ainda é tempo de voltarmos ao que éramos, de recuperar a identidade perdida, procurando nos pormenores dos dias de hoje, os acertos do passado.

Estamos copiando os vizinhos do lado, no peculiar sucesso, nas suas modas e nos seus gingados. Que tristeza ao ver um povo que caminhava solene para glória, e agora é só saudades do passado.

Um povo que renega a sua história de glória no passado para viver um presente atribulado, está certamente revogando o seu futuro, NEGANDO O SEU PASSADO.

É preciso nos dar conta que o Senhor não mudou, que Ele é o mesmo e o será eternamente, mas nós é que estamos mudados.

Não queremos ser diferentes, nem perseguidos e nem julgados; queremos ser iguais, materialistas, vaidosos e despreparados.

Quem não negar a si mesmo, não meter a mão no arado, deixando de ser o sal da terra, a luz no mundo, na certeza seremos por Deus um dia condenados.

É TEMPO DE AVIVAMENTO
É tempo de buscar o que estamos perdendo, é tempo de buscar o avivamento, na obediência, na comunhão, na oração e no jejum.

É tempo de fecharmos os olhos pra a carne e abrirmos os do Espírito. É tempo de nascermos de novo, de voltarmos os nossos olhos para alto de onde nos vem o socorro e fortaleza.

De onde vem a redenção, a salvação e o arrebatamento.

De dizer um chega para as coisas do mundo, e de retomarmos a carreira da fé como ela o é.

"Ouvi, SENHOR, a tua palavra, e temi; aviva, ó SENHOR, a tua obra no meio dos anos, no meio dos anos faze-a conhecida; na tua ira lembra-te da misericórdia."  (Habacuque 3 : 2)