quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

A ISCA CERTA

Figura somente  ilustrativa 
Ei compadre, vamos pescar?

- Vamos; que tipo de peixe vamos pescar?

- Se for jundiá, vou pegar minhocas brancas; se for traíra, vou pegar lambaris ou se for piava, vou pegar milho verde ou seco e cozinhar.

- Olha compadre, leve um pouco de cada isca, pois, não se sabe o que vai cair  no anzol hoje.

Conclusão: Para cada tipo de peixe tem uma isca certa, para dia e hora certa. Porque, o peixe morre é pela boca. 

Conforme o apetite e o tipo de isca sempre terá um peixe pronto para cair no engodo.

O que é engodo?

en.go.do, masculino

- isca para pesca
(Figurado) coisa com que se engoda ou seduz alguém
(Figurado) aliciação
(Figurado) adulação astuciosa

UMA HISTÓRIA:
Conta-se que há muitos anos atrás, em uma certa cidade de fronteira do Brasil, fora designado para trabalhar lá um determinado servidor público o qual era considerado como incorruptível.

Porquanto, naquele lugar vários outros servidores haviam passado e a oferta da transgressão fora mordaz, perdendo estes os seus postos.

O tempo fora passando, e como este não se corrompia a oferta fora aumentando, mas ele continuava irredutível na sua integridade moral.

No entanto, as coisas ofertadas chegaram a um patamar irrecusável, o qual veio a balançar como uma árvore ao vento. Mesmo assim, ele não caiu, mas reconhecendo os seus limites foi aos seus superiores dizendo:

"Me tirem daqui, pois os homens estão chegando no meu preço".

Conclusão: "Há um ditame que a insistência na propaganda é alma do negócio". Porque, para tudo tem um preço determinado.

A isca tornara-se apetitosa demais pelo seu volume e insistência, chegando ao limite da resistência humana.

OS TIPOS DE ENGÔDOS
Ora, bem sabemos que para atrair a presa tudo tem uma isca certa como:

Para galinha é o milho; para o gato é o rato; para o rato é o queijo e assim por diante.

Certamente o objetivo deste post não enumerar os engôdos para os animais, mas comparar estes com aquilo que muitas vezes atrai a raça humana  para erro.

Dizem por ai que o homem é atraído por aquilo que ele vê e que a mulher por aquilo que ela ouve. A atração pode ser boa ou ser má.

A natureza humana por si mesma já tem a sua origem no pecado. Isto, por si mesmo já é um agravante a dificultar a formação das características de um ser cristão; pois, o próprio Senhor Jesus Cristo disse que:

"Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca". (MATEUS  26:41)

Em sendo a carne fraca, ela está sujeita a cair em engôdos aos quais veem para  lhe despertar os mais diversos tipos de desejos.

É o engôdo que desperta a tentação.

A palavra do Senhor nos diz que o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males (I Timóteo 6:10)

O dinheiro desperta a ganância, pois através dele muitos bens de consumo podem serem adquiridos, como também as vaidades podem serem afloradas através dele para despertar a concupiscência da carne e dos (pelos) olhos as quais não pertencem a Deus:

"Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não vem do Pai, mas sim do mundo". (I JOÃO  2:16)

A soberba da vida está na exaltação do eu; na exaltação da carne em sua exposição e isto pertencem ao mundo e não a Deus como Está Escrito.

Só aquele que guarda a palavra de Deus e espera nela com perseverança pode escapar da tentação que há no mundo e ainda aquela que virá.

"Porquanto guardaste a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei da hora da tentação (provação) que há de vir sobre o mundo inteiro, para pôr à prova (tentar) os que habitam sobre a terra. (Apocalipse 3:10)

Esta tentação o que é uma provação de fidelidade a Deus e ao próximo se arraiga nas mais diversas áreas de nossa vida.


O QUE TEM A VER O ENGODO COM A PALAVRA DE DEUS?

Aquilo que está dentro de nós provenientes dos frutos da carne, se não estiverem debaixo da mão poderosa do Senhor, será tentado e despertado pelos engôdos da concupiscências intrínsecas a carne.

Figura meramente ilustrativa
"Cada um, porém, é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência; então a concupiscência, havendo concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte". (Tiago 1:14-15)

Hoje, não há dúvida nenhuma que a sensualidade é o maior engôdo para a tentação da carne.

A Bíblia Sagrada, que é a palavra de Deus da enfase não só com aquilo que pode gerar a prostituição da fé, mas também a  prostituição da carne.

O grande Senhor em sua suprema onisciência nos deixa como testemunho um dos principais episódios ao qual o povo israelita veio a cair diante de sua face, bem descrita  abaixo na arte da sedução na doutrina de Balaão.


Poucos estão gritando aos quatro ventos que sem santidade ninguém verá o Senhor; e que a sedução em suas vaidades é que nos afasta da santidade; no entanto, aqueles que gritam são como vozes vazias no deserto.

Aqueles que ousam clamar ao povo divino sobre santidade, são perseguidos, difamados e até isolados. São tachados de querer implantar costumes, de colocar jugos ou até mesmos julgados inconsequentes.

Figura meramente ilustrativa
O laço do diabo e o seu engôdo prolifera nas novelas, modismos e consumismos. Aqueles que como atalaias do Senhor gritam pelos montes da WEB, rádios e assemelhados, não lhes são dado créditos a suas pregações.

A lascívia está presente nos lugares aonde menos se espera. Como uma isca bem adornada se espraia ao meio das crianças, jovens e adultos.

Não há mais distinção de pessoas. Não se prega no mundo e nem se ensina sobre este tema considerado tão indigesto.

Os frutos da carne estão proliferando ao meio do povo santo sem controle.

Muito poucos são aqueles que ajudam as suas lideranças para não se indispor contra a maioria.

Há um ditado popular de que "Quem se cala consente".  O certo é que daremos contas ao Senhor de tudo aquilo que nos foi delegado para que façamos e não o fazemos.

Poucas vezes deixamos de falar o que nos veio para que fale. No artigo sobre lascívia no link abaixo, não nos omitimos de dizer o que era para ser dito.

Certamente, de um alto e sublime trono o Senhor nos contempla a cada um destes e lhes dará a paga conforme as suas obras.

No entanto, ainda é tempo de olharmos para o Senhor Jesus Cristo e vermos que só na humildade, na separação e na união com amor é que veremos ao Senhor.

Amém.

O que nos veio foi o que escrevemos. Se escrevemos fora da vontade divina, a Ele prestaremos conta..