quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

COMBATER O BOM COMBATE

Não tá morto quem peleia, assim diz um dos tantos ditados gaúchos.

Há um ensejo contido neste ditame popular que enquanto há vida há esperança.

Que o peleador mesmo ferido no fragor da batalha, não é um soldado morto, mas alguém que ainda luta pela vida.

Aquele que não luta, já se entregou para o seu algoz e só espera o golpe de misericórdia para acabar com o seu sofrimento.

A bravura e o desprendimento do lutador não encontra paradoxo nos anais da história; porquanto, quem está em busca de um ideal, mesmo que muito ferido, ele açacala a espada, dá um brado de vitória e não esmorece mesmo que a luta seja renhida.

PARADOXOS
Há uma distância abismal separando a batalha literal da batalha espiritual. A luta pode até ser no campo das ideias, mas nunca contra o sangue e nem contra a carne.

O nosso inimigo não deverá estar na mesma trincheira, mas bem definido nos ares da esfera celestial.

DIAS DIFÍCEIS
Nestes últimos dias que antecedem a vinda de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, há um misto de desânimo, de descrédito, enunciando a apostasia.

A dificuldade de manter-nos preparados, vigilantes e atuantes bem demonstra que estamos quase nos entregando "pros homi" bem como diz as muitas charlas gauchas as quais não podemos nos entregar.

O Senhor Jesus Cristo falando sobre este assunto em Lucas 18 o qual retratava os dias de hoje, lembrando daqueles que desistem facilmente, não orando, não persistindo, não buscando e nem jejuando.

Se estivermos neste perfil quando ELE  vier buscar a sua igreja, por ventura encontrará fé na terra? (Lucas 18:8)

Do que adianta ganharmos o mundo inteiro se perdermos a nossa alma? 

Hoje, o mundo inteiro é ofertado nos montes da mídia e estamos nos curvando a ela.

A oferta da Satanás ao Senhor Jesus Cristo fora a mesma dos dias de hoje no: "Tudo isto te darei se prostrado me adoares".

No entanto esta oferta ela não é feita de maneira direta, mas na sutilidade impercebível do bom, bonito e barato. No entanto, o preço será nefasto.

Em outros casos, almas estão deprimidas, aprisionadas em situações em que para elas não há uma saída.

O ocaso parece um fim prematuro das suas perdidas ilusões. Não têm mais forças para lutar e entregar-se sumariamente parece-lhes a solução final de uma epopeia mal vivida.

COMBATER O BOM COMBATE
O apóstolo Paulo foi um exemplo de combatente que lutou no extremo das suas forças e não se entregou. Muitas vezes foi preso, açoitado, apedrejado e rejeitado pelos seus.

No entanto, mesmo sabendo do seu destino foi despedindo-se dos irmãos os quais dizia que nunca mais veriam o seu rosto, e foi para Jerusalém enfrentar o caminho de cruz a qual lhe estava proposto.

Foi preso, levado para Roma onde em 67 DC foi decapitado; mas, antes, na sua despedida ele deixou nos anais da história a sua célebre despedida:

"Combati o bom combate; acabei a carreira e guardei a fé. Desde agora a coroa de Justiça me está guardada a qual o justo Senhor me dará naquele dia, e não somente a mim, mas a todos aqueles que amarem a sua vinda".

CONCLUSÃO:
Combater o bom combate requer um esforço sobre humano na crucificação do eu para viver o ELE. Não se importar com as portas que são fechadas; com as perseguições e com as dificuldades inerentes a um bom soldado do nosso Senhor Jesus Cristo.

Combater o bom combate está além das possibilidades humanas, pois adentra o campo da sustentabilidade divina.

Não desanimar, muito embora quando nos parece que todas as adversidades tem se levantado contra nós. Não temer, pois Ele diz: "Eu sou contigo"; "Eu sou teu Deus"; "Eu te ajudo e Eu te esforço".


É preciso ter a consciência que nem sempre receberemos o galardão nesta terra ou neste lugar; o mais importante de tudo é fazermos a nossa parte que o grande Senhor fará a Dele.

É preciso orar e vigiar para que ninguém tome a nossa coroa a qual receberemos junto com o grande apóstolo Paulo no dia da vinda do Rei dos reis e Senhor dos senhores.