quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

MEU REINO NÃO É DESTE MUNDO



O ANJO DESMEMORIADO: (ficção) Pergunta o anjo sem memória ao transeunte: "Quem sou e onde estou?"

Responde o transeunte: "Pelo seu jeito você é um anjo do céu e está na terra agora; o que foi que houve com você?"

Ah! lembrei; o Senhor ordenou-me que viesse a terra dar proteção a João e Maria (Salmo 91:11) seus servos, mas, houve um lapso de memória e  assim estava quando você encontrou-me, respondeu o anjo.

Muito embora as condições geográficas distando o Reino dos Céus do reino terreno, o Senhor envia os seus anjos para proteger e guiar aqueles  que o amam e o buscam os quais são pertencentes ao Seu Reino, embora ainda peregrinando em terra estranha.



O fato acima é apenas uma ilustração para chamar a atenção do tema a ser descrito, pois, jamais um anjo do Senhor se esqueceria quem é e qual seria a sua missão.




O REINO DE DEUS E OS SEUS CIDADÃOS E CIDADÃS
"Respondeu Jesus: O meu reino não é deste mundo; se o meu reino fosse deste mundo, pelejariam os meus servos, para que eu não fosse entregue aos judeus; entretanto o meu reino não é daqui." (João 18:36)

O reino de Deus operante pelo Pai, Filho e Espírito Santo está localizado e representado aqui na terra através dos seus súditos, os embaixadores do Senhor Jesus Cristo.

Sua representatividade não está na ostentação exterior da nobreza, das propriedades ou de peculiaridades ligadas as vaidades das benesses terrenas, mas sim:

Sendo Jesus interrogado pelos fariseus sobre quando viria o reino de Deus, respondeu-lhes: O reino de Deus não vem com aparência exterior; nem dirão: Ei-lo aqui! ou: Ei-lo ali! pois o reino de Deus está dentro de vós (Lucas 17:20-21).

RESULTANTE: Por mais que queiramos arrumar um texto como pretexto para ligar os dois reinos pelo materialismo ou pela carnalidade, isto jamais encontrará abrigo no Escriturado Bíblico. O Reino divino tem primazia em tudo, pois é o que permanece para todo o sempre.

Para ser pertencente e representante do Reino do Senhor Jesus Cristo temos que:

"Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, e siga-me;" (Mateus 16:24)

Ora, para quê e PARA QUÊ precisamos negar a nós mesmos, tomar a nossa cruz para segui-lo?

Resposta:
"Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé no filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. (Gálatas 2:20)

RESULTANTE: Se não negar a mim mesmo e não tomar a minha cruz para segui-lo, o Senhor Jesus Cristo não viverá em mim.

Com o eu negado e com o Senhor Jesus Cristo vivendo em mim, passo a ser o Templo do Espírito Santo:

"Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?"  (I Coríntios 6 : 19)

Se não houver a transformação do ser carnal para o ser espiritual, ou seja, se não nascer de novo (do novo) não podermos entrar no Reino de Deus:


"Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus."  (João 3 : 5)


Porquanto, temos que buscar de todo o nosso coração as coisas do Reino de Deus para que as demais coisas nos sejam acrescentadas:

"Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas."  (Mateus 6 : 33)

AS COISAS QUE O REINO DE DEUS NÃO É:
"Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo."  (Romanos 14 : 17)


GANÂNCIA PELOS BENS MATERIAIS - LUCAS 17  E ele arrazoava consigo mesmo, dizendo: Que farei? Não tenho onde recolher os meus frutos.

18  E disse: Farei isto: Derrubarei os meus celeiros, e edificarei outros maiores, e ali recolherei todas as minhas novidades e os meus bens;

19  E direi a minha alma: Alma, tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e folga.

20  Mas Deus lhe disse: Louco! esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?


21  Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não é rico para com Deus.

Não que o Senhor queira que sejamos pobres, mas que os bens adquiridos sejam para honra e glória do nome do Filho amado. "Se" eu NÃO sou levado ao materialismo e a ganância, não posso procurar as riquezas deste mundo, pois estarei esquecendo-me de Deus (ver Mateus 6:24).

O Senhor é o dono do ouro e da prata e se ELE quiser abençoar uma serva ou um servo seu com riquezas várias, ELE é soberano em todas as suas decisões.


MATEUS 6:19  Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam;

20  Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam.


21  Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração.


CONCLUSÃO:

Vivemos em um tempo em que as identidades são confusas como se houvesse uma perda de memória em relação a quem somos, a quem pertencemos,  para onde vamos e qual é a nossa missão aqui na terra.

Andamos no mundo, mas não somos herdeiros dele e sim dos céus.

Nosso amor tem que estar vinculado nas coisas do Reino de Deus, pois que:

"Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. (I João 2 : 15)

O cidadão dos céus é separado das coisas que são do mundo, pois que:

"Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os odiou, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo."  (João 17 : 14)

"Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal."  (João 17 : 15)

Daniel e seus três companheiros muito embora estivessem no reino babilônico, onde a mesa do rei era farta, eles resolveram não se contaminar, mantendo-se castos em mundo corrompido.

Mas, apesar de todas estas recomendações supracitadas em que mesmo se constitui o reino divino?

"Porque o reino de Deus não consiste em palavras, mas em poder (virtude em outra tradução)."  (I Coríntios 4 : 20)

Do que adianta citarmos tantas regras se o nosso coração não estiver na palavra que a rege.

Se estivermos com o coração na palavra, seguindo e praticando-a, a virtude o poder estará testemunhado por nós.

É o mesmo que santidade não é só uma palavra, MAS SIM UM ESTADO, O ESTADO DE SANTIDADE.

Porquanto, estamos perdendo a memória que o nosso alvo é a salvação para a vida eterna com o Senhor Jesus Cristo.

Que a nossa missão é ganhar almas para ELE.

Estamos sendo fixados no materialismo, nas prosperidades materiais; nos modismos; em aparecer como modelitos em todos os sentidos e estamos nos esquecendo que precisamos nos tornar criaturas espirituais pelo nascer do Espirito Santo:

"Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo,"  (Tito 3 : 5)
`
É preciso morrer para o velho e dar enfase para novo nascimento da lavagem da água pela palavra, e do Espírito Santo em sua renovação.