quarta-feira, 2 de julho de 2014

A MULHER - É FIGURADA COMO MÃE DA IGREJA DO SENHOR JESUS CRISTO.

Só quem pode dar a luz pode ser chamada verdadeiramente de mãe. Só quem sofre as dores do parto entende das dificuldades da sua gestação, do seu cuidado e da sua preparação.

Muito embora existam tantas outras mães que não podem gerar filhos, mas os adotam e criam com tanto amor e carinho como se do seu próprio ventre saíssem; no entanto, na realidade sanguínea não a são.

A mãe prefere perder o seu filho para tantas outras situações, do que o ter e vê-lo morrer como no caso da mãe de Moisés; como no caso do julgamento do rei Salomão sobre a que se dizia mãe e da sua verdadeira mãe.

Uma mãe amorosa na dificuldade não come para ver os seus filhos comerem; ela sofre com as situações adversas, e se alegra com as situações favoráveis as quais passam os seus filhos.

Em um comparativo divino sobre a intensidade do amor de mãe, o Senhor profere que pode até uma mãe esquecer-se do filho que cria, (o que dificilmente acontece), ELE todavia, dele não se esquecerá. Só Deus tem pelo filho amor maior do que uma mãe que o gerara.

ELA É A FIGURA MÃE DO POVO ESCOLHIDO POR DEUS


Mas o que é uma figura?
Para que se entenda é preciso que se compreenda para que se chegue a plenitude do conhecimento, bem como a estatura de varão perfeito diante do nosso digníssimo Senhor e Salvador Jesus Cristo. A figura literal do contexto é o modelo espiritual desejado.

A figura da fidelidade de uma mãe não encontra semelhança na literalidade terrena. Porquanto, a Bíblia Sagrada faz dela a figura fiel da Igreja de nosso Senhor Jesus Cristo na face da terra.

Em Efésios cinco está as equiparações da união entre o Senhor Jesus Cristo e a sua igreja, e a do esposo em relação a sua esposa. As semelhanças figurativas deste enlace matrimonial se equivalem espiritualmente.

As comparações escrituradas não nos deixam dúvidas do mistério do corpo místico de Cristo e da sua igreja no seu enlace nupcial, o qual é representado como uma mulher de nome igreja ou as suas variantes como mulher igreja e a igreja é como uma mulher.

Vejamos com cuidado o quadro comparativo bíblico:


Efésios 5:22 Vós, mulheres, submetei-vos a vossos maridos, como ao Senhor;



23 porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o Salvador do corpo.

24 Mas, assim como a igreja está sujeita a Cristo (noiva, esposa), assim também as mulheres o sejam em tudo a seus maridos.

25 Vós, maridos, amai a vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela,



Questão: qual seria o objetivo de todo enunciado bíblico? - Resposta abaixo:


26 a fim de a santificar, tendo-a purificado com a lavagem da água, pela palavra,

27 para apresentá-la a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem qualquer coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.


28 Assim devem os maridos amar a suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo.

29 Pois nunca ninguém aborreceu a sua própria carne, antes a nutre e preza, como também Cristo à igreja;

30 porque somos membros do seu corpo.

31 Por isso deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e se unirá à sua mulher, e serão os dois uma só carne.

32 Grande é este mistério, mas eu falo em referência a Cristo e à igreja.

33 Todavia também vós, cada um de per si, assim ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a mulher reverencie a seu marido.


Os valores literais do misterioso enlace matrimonial do Senhor Jesus Cristo com a sua igreja encontra o mesmíssimo paralelo no enlace do esposo com a esposa.

Se Cristo não pode separar-se da sua esposa, de igual modo os preceitos por ELE descritos em Mateus 19 encontra apoio e sustentação. No entanto, na vida secular se não houver o perdão no adultério, há a separação pelo divórcio, o que não é um conselho dado Senhor, pois a lei DELE é esta: "O que Deus uniu não separe o homem".

Já no caso se a Igreja do Senhor adulterar e se prostituir, ELE pela sua misericórdia a perdoa no tempo da graça; depende dela reconhecer o erro, regenerar-se e voltar ao seu Senhor.

Como exemplo fiel desta verdade bíblica vemos o caso do profeta Oséias em que O senhor faz casar-se com uma prostituta para tipificar o caso dele com Israel seu povo (esposa).

Gomer, a esposa prostituta de Oséias ia ter com outros e Oséias sempre a recebia de volta. Assim é o Senhor com a sua igreja, quando ela prostitui-se fora da sua palavra, Ele, o Senhor, sempre a perdoa e a recebe de volta.

A FIGURA DA IGREJA (POVO DIVINO) COMO ESPOSA DO SENHOR
Nada do que se for falar pode diferir da palavra do Senhor delineada em I Pedro 4:11 - "Se alguém falar, fale segundo a palavra de Deus, para que em tudo Cristo seja glorificado (...)".

Segundo esta palavra, está registrado em Isaías 62 ás comparações até então contextualizadas em Efésios 5 descritas acima.

As características exponenciais desta união espiritual, onde o modelo ESCOLHIDO POR DEUS para SUA ESPOSA requer que ela seja:


ISAÍAS 62:3 Também serás uma coroa de adorno na mão do Senhor, e um diadema real na mão do teu Deus.



4 Nunca mais te chamarão: Desamparada, nem a tua terra se denominará Desolada; mas chamar-te-ão Hefzibá, e à tua terra Beulá; porque o Senhor se agrada de ti; e a tua terra se casará.



5 Pois como o mancebo se casa com a donzela, assim teus filhos se casarão contigo; e, como o noivo se alegra da noiva, assim se alegrará de ti o teu Deus.


Hefzibá: Palavra hebraica utilizada por Deus em Isaías 62:2. Significa meu deleite/minha delícia/meu prazer está nela,portanto, pode-se dizer que significa "Delícia/deleite/ de Deus"

Beulá:Ato matrimonial, casamento; desposamento.

Resumindo o contexto bíblico nos que:

Serás uma  ornada coroa e uma diadema real nas mãos do teu Senhor (esposo)

Não te olharão mais como desamparada, nem a tua terra desolada, MAS CHAMAR-TE-ÃO meu deleite/delícia, meu prazer e o meu contentamento, pois pelo SEU agrado se unirá (casará) contigo e com a tua terra.

Pois da mesma forma, da mesma maneira, do mesmo modo que se casa um apaixonado pela sua donzela, assim teus filhos (a Sua igreja) casarão (futuro) contigo (com Pai/Cristo esposo).

A transliteração da escrita real para a escrita espiritual se dá pelas oportunas semelhanças entre elas.

O sentido literal de uma serve de modelo espiritual para outra. Os valores se coadunam formando uma mesma situação com um mesmo senso precioso e estimado diante do Senhor.

Porquanto, é na mulher que se encontra a figura da igreja/povo como a fiel e santa esposa do Senhor.

Conquanto, no homem servo e filho de Deus que se encontra a Figura do esposo, e ou seja, a figura do nosso Senhor Jesus Cristo.

FIGURAS DE GRANDES MULHERES BÍBLICAS
Começando por Sara, esposa de Abraão pai da fé, era estéril; Rebeca, esposa de Isaque, Raquel, esposa de Jacó e Ana, esposa de Elcana eram estéreis. Estas mulheres, figuras da igreja nasceram estéreis, mas pela fé geram filhos para honra e glória do Senhor.

Quando estudamos os seus nomes vemos neles o plano divino inserido para a igreja de Cristo, como mostra  dos grandes mistérios ainda não revelados pela figura da mulher, o qual falaremos em outro post.

COMPARATIVOS COMPROBATÓRIOS
Em I Coríntios 11, o apóstolo Paulo faz novamente o comparativo do Senhor Jesus Cristo e de sua Igreja, equiparando um casal místico e o outro real.

Já em I Pedro 3, vemos nos textos abaixo a mesma referência já mostrada de Efésios 5, plenamente equiparada no versículo 5 de I Pedro 3 abaixo:


1  SEMELHANTEMENTE (DA MESMA MANEIRA), vós, mulheres, sede sujeitas aos vossos próprios maridos; para que também, se alguns não obedecem à palavra, pelo porte de suas mulheres (IGREJA) sejam ganhos sem palavra;

ADENDO: No término do capitulo 2 de I Pedro ASSIM ESTÁ ESCRITO: 25  Porque éreis como ovelhas desgarradas; mas agora tendes voltado ao Pastor e Bispo das vossas almas.

VEJAM BEM: Mas agora tendes voltado AO PASTOR (JESUS CRISTO) e Bispo de vossas almas (NOIVO, ESPOSO). Semelhantemente (da mesma maneira) vós mulheres, sede sujeitas ao seu próprio marido.

2  Considerando a vossa vida casta (PURA), em temor (PRINCÍPIO DA IGREJA SÁBIA E DA MULHER TAMBÉM).

3  O enfeite delas não seja o exterior (LADO DE FORA), no frisado dos cabelos (VÉUS), no uso de jóias de ouro (ORNAMENTOS), na compostura dos vestidos (VESTES normais e espirituais);

4  Mas o homem encoberto no coração (CORAÇÃO LIMPO); no incorruptível traje (VESTES QUE NÃO CORROMPEM, QUE NÃO LEVAM A SENSUALIDADE) de um espírito manso  e quieto  (HUMILDE, SEM VAIDADE E SEDUÇÃO), que é precioso diante de Deus (AGRADÁVEL DIANTE DE DEUS).

5  Porque assim se adornavam também antigamente as santas mulheres que esperavam em Deus, e estavam sujeitas aos seus próprios maridos;

As referências bíblicas descritas no versículo 5 acima são incontestes, pois a esposa se arruma e espera pelo seu esposo, assim como a igreja de Cristo se arruma e espera pelo seu esposo.

O grau comparativo das "Santa mulheres que esperam em Deus", fecha a conta e espraia o verbo de uma maneira clara e concisa das equivalências contextuais.

A mulher santa espera pelo seu esposo assim como a igreja santa espera pelo Senhor Jesus Cristo.

I Timóteo 27  Para o que (digo a verdade em Cristo, não minto) fui constituído pregador, e apóstolo, e doutor dos gentios na fé e na verdade.

8  Quero, pois, que os homens orem em todo o lugar, levantando mãos santas, sem ira nem contenda.

9  Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos,

10  Mas (como convém a mulheres que fazem profissão de servir a Deus) com boas obras.

O versículo nove (9) dá o perfil que convém, que é conviniente para as mulheres\igreja que são profissionais para agradar o seu esposo, como também ao esposo místico que é o Senhor Jesus Cristo.

A PUREZA (SANTIDADE) CONVÉM A IGREJA

Nós todos como figurantes da igreja\mulher do Senhor, somos requeridos como puros (santos) para o enlace místico com o esposo a saber Cristo.

Da mesma forma a mulher\igreja como símbolo príncipal dos filhos do esposo terá que ser santificada, como em muitos estudos semelhantes abaixo:


Jesus quer uma igreja composta de pessoas santas. Numa cerimônia de casamento, o momento mais especial é a entrada da noiva. O noivo espera ver a sua noiva resplandecente entrar para fazer um pacto solene com ele. Imagine a noiva entrando usando um vestido sujo e rasgado, com seus cabelos totalmente desarrumados, e com lama no rosto. O noivo, provavelmente, sairia correndo! E se Jesus voltar e encontrar a sua noiva suja e usando roupas rasgadas e manchadas? Ele quer um povo santo (1 Pedro 1:13-16) que demonstra a sua santidade no seu proceder no dia-a-dia (1 Pedro 2:11-23).

                   Do site: Estudo da Bíblia


A VIDA LITERAL E O PARALELO DA VIDA ESPIRITUAL


A transliteração do sistema visual (literal) para invisivel (espiritual) é a realidade bíblica.

Os paralelos destas vidas são encontrados principalmente nas parábolas, figuras e alegorias delineadas pelo Senhor Jesus Cristo e pelo apóstolo Paulo.

A palavra divina jamais seria bem entendida espiritualmente se não houvesse as figuras e as alegorias que a assessoram.

Os valores quando em comparação são identicos e indeléveis.

Portanto, sem dúvida nenhuma, a mulher é a figura da igreja como o homem o é do Senhor Jesus Cristo (assunto a ser discorrido em outro post).

Porquanto, tanto a mulher quanto o homem que são discípulos de Cristo, separados estão do mundo e das suas concupiscências.

CONCLUSÃO:
O justo viverá da fé, e se ele recuar a minha alma não tem prazer nele.