sexta-feira, 18 de julho de 2014

O GRANDE AMOR DE DEUS

Ficamos pensando de como compreender e falar de uma coisa que é incompreensível, e por não dizer sem medidas para que se fale?

Como falar de uma virtude que excede todo o conhecimento humano; que excede as palavras e adentra os mistérios que a mente humana não alcança?

Como entender de alguém que nos amou e escolheu-nos primeiro estando nós ainda informes?

Como compreender alguém que ama o transgressor e por ele dá o seu próprio Filho para remir a sua transgressão?

Porquanto, se fossemos utilizar o juízo humano para tentar compreender tal pessoa diríamos que esta não se encontra no seu juízo perfeito.

Portanto, o amor divino é um amor incondicional, sem interesse e sem medidas.

É um amor que não dá só para receber; que não estende a mão já tendo a outra espalmada para ter a contrapartida. Que dá com a direita não querendo que a esquerda saiba.

O seu simples amar é a excelência e a diferença de um reino que nunca terá fim.

Que para justificar o meu amor a Ele e ao seu Filho amado eu  preciso amar o meu próximo como a mim mesmo; pois como amaria alguém que eu não vejo se não amo a alguém a quem eu vejo?

Isto nos dá a lição que o verdadeiro amor não é PARCIAL, que ele tudo sofre, que tudo espera e nele confia.

Que o seu amor é o mais puro e mais alvo que a própria neve. Que nele não se encontra lugar para raízes de amargura, ressalvas de posses ou de raças.

Como explicar um amor que é inexplicável?




Como explicar um amor que é de uma maneira tal que todas as medidas humanas não pode medi-lo, que nem as grandezas e as profundidades encontram parâmetros para enquadrá-lo?

"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna". (João 3:16)

E QUE:

"Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e nós devemos dar a vida pelos irmãos". (I João 3:16)

Obrigado Senhor por ter-nos amado primeiro, e por permanecer fiel a nós onde muitas vezes nós não somos fiel a ti.

Obrigado pela tua GRAÇA, esse favor imerecido; pelo teu Filho amado nosso grandessíssimo Senhor e Salvador Jesus Cristo, e pela Sua Excelência o Espírito Santo que veio a mando do Pai para glorificar o Filho em amor e por amor a nós.

Obrigado Senhor, obrigado e mais uma vez obrigado.