domingo, 21 de dezembro de 2014

O SABOR DAS PALAVRAS DO SENHOR JESUS CRISTO

O DIÁLOGO:



"Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito:
Nem só de pão viverá o homem, mas de toda
 a palavra que sai da boca de Deus."  (Mateus 4 : 4)
- Ei José, o que você está comendo?

- Olha João, estou comendo uma fruta chamada palavra, porque a palavra TEM QUE DAR FRUTO.

"Achando-se as tuas palavras, logo as comi, e a tua palavra foi para mim o gozo e alegria do meu coração; porque pelo teu nome sou chamado, ó SENHOR Deus dos Exércitos."  (Jeremias 15 : 16)

- Mas que sabor tem esta fruta chamada palavra?

- Olha na minha boca ela é doce como o mel, mas no meu ventre ela é amarga (Ezequiel 3:3, Apocalipse 10:9) como fel.

- Mas tu não vai ficar desarranjado comendo esta fruta estranha chamada palavra, que é doce por um lado e amarga por outro? - E porque ela é amarga no ventre? - Que coisa estranha!

- Olha, diz que no começo ela dói na carne (amarga), mas depois ela vai aos poucos mudando as coisas,  transformando a mente e agindo no coração.


Essa dor na carne é o amargo no ventre, o qual tem que ser mudado, transformado pelo poder e ação da palavra e do Espírito Santo.

- Mas que interessante esta fruta que muda as pessoas em espírito, alma e corpo! - De onde ela vem?

- Olha, ela vem de uma árvore (figura) chamada árvore da vida, e quem a come e aproveita, ele muda e tem seu nome escrito no Livro da vida com o Senhor Jesus Cristo.

- Ei José, posso te fazer uma outra pergunta muito importante para o meu conhecimento?

- Faça!

- Eu ouvi dizer que esta mudança que a pessoa sofre é por causa de um tal de fruto da verdade que a limpa lhe deixando purificada das coisas que são do mundo, como: injustiça, soberbas, vaidades e carnalidades. Como se dá esse processo miraculoso José?

- Olha João, isto tudo é um processo de libertação muito longo que só é adquirido por aqueles abnegados que comem do fruto da árvore da palavra do conhecimento, e este fruto que é chamado de verdade:



E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará."  (João 8 : 32)



- SÓ QUE TEM UMA CONDIÇÃO BÁSICA: Se a verdade liberta é porque a mentira prende, e só o Pai da verdade no Filho é que tem as chaves que verdadeiramente LIBERTAM AS PESSOAS desta prisão férrea das coisas que são do mundo:

"Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres."  (João 8 : 36)

- Que coisa mais complicada José! - Uma coisa que leva a outra e outra que leva a outra. Você poderia ser mais especifico nesta sua explicação?

- Sim, vou ser mais especifico: Bom, isto é um processo muito simples João, e não é complicado não; só que tem um porém: A PESSOA TEM QUE CRER NA PALAVRA, pois se não crer, de nada adianta estarmos falando, falando e falando, pois a palavra fica vazia, e ESTA PALAVRA infelizmente não faz aquilo que lhe apraz, porque a pessoa NÃO CRÊ NA PALAVRA.

- É a mais pura das verdades José, pois "se" eu não creio na palavra como irei viver pela palavra? - Desculpe eu ter-lhe interrompido com a sua explicação; mas, continue:

- A árvore e o fruto da verdade que liberta e purifica as pessoas vem da palavra do Pai através do Filho, como vou lhe dar uma prova através das palavras do Senhor Jesus Cristo:

"Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade."  (João 17 : 17)

-É pela aplicação da palavra da verdade em nós mesmos como se fosse um sabão que vai nos  limpando progressivamente para a santificação, até que as manchas saiam das nossas vidas como no dito pelo Senhor Jesus Cristo:

"Vós já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado."  (João 15 : 3)

Olha João, tem mais ainda: A igreja como a esposa do Senhor Jesus Cristo TEM QUE SER PURIFICADA NA LAVAGEM DA ÁGUA PELA PALAVRA, PARA QUE SEJA SANTA, ASSIM COMO SANTO ELE O É.

"Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra,"  (Efésios 5 : 26)

- Meu amigo José, o povo não dá bola para isso não é?

- Porque você diz isso João?

- Porque quase ninguém ousa falar sobre estas coisas tão sérias para nossa salvação

- Parece-nos que isto não dá quorum em muitos lugares não é?

- É meu amigo, as coisas estão como a Bíblia Sagrada diz que o mundo vai de mal a pior:

"Mas os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados."  (II Timóteo 3 : 13)

- Infelizmente temos uma triste constatação feita pelo Senhor Jesus Cristo em Lucas 18:8:

"Será que na vinda do Filho do Homem encontrará fé na terra?"

- Sabe João: "A fé genuína, a verdadeira fé, já é e será um artigo de luxo nos últimos dias da cristandade sobre a terra; isto será verdadeiramente como disse o Senhor Jesus Cristo, que só a terão como proveito OS POUCOS ESCOLHIDOS:

"Assim os derradeiros serão primeiros, e os primeiros derradeiros; porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos."  (Mateus 20 : 16)

- Tu sabe José que eu acredito que tudo é um problema de fidelidade a Deus e ao próximo. Pelo que se vê, nós como povo dito divino temos uma fé de pouca duração. NÓS NÃO GUARDAMOS A PALAVRA DO SENHOR COMO DEVE SER GUARDADA.

- Porquanto, tem uma fruta chamada fidelidade da qual ouvi falar, mas não comi ainda, pois dizem quem a come passa a ser exclusivista, meticuloso, e que fica diferente dos outros.

- Você já comeu dela?

- Olha João, essa fruta chamada fidelidade vem da mesma árvore da vida em Cristo, e quem a come verdadeiramente, algo sobrenatural acontece; pois o efeito dela passa a beneficiar também os outros.

- Não entendi José! - Que negócio estranho é isso que um come e o outro também sofre o efeito benéfico dela?

- Olha meu amigo, o dono desta árvore que tem estas frutas, é dono de tudo, e ELE faz coisas que nós custamos muito a compreender, pois todo aquele que come as frutas do pomar da existência divina, e dá valor aos seus sabores, serve a família e aos demais com amor, sinceridade e igualdade.
  • Ele usa o temor como prudência; a perseverança com a longanimidade, e a fé com a bondade.
  • Ele coloca o perdão em ação, abre o seu coração e deixa as raízes de amargura na contra-mão; e o que tem fidelidade com Senhor, passa também a ser fiel e justo com o seu próximo.
- Até ai tudo bem José, mas porque SÃO TÃO POUCOS OS ESCOLHIDOS que comem deste fruto que frutificam com as coisas que você citou, se as frutas são as mesmas para todos?

- Olha João, o primeiro fato desta causa pouco exitosa da-se pelo ouvido, pois a fé vem pelo ouvir e o ouvir pela palavra de Deus, e são poucos os que dão crédito a pregação (Isaías 53), porquanto, por essa principal premissa não tem como fazer uma correta digestão nos demais.

- Ora José, para ai um pouco com esta salada de frutas; o que tem a ver a digestão com tudo o que temos falado José? 

- Não mistura as coisas senão você me deixa perdido em alto mar.

- Você está certo João, e eu errado, porque muitas das vezes nós já temos a ideia pronta na cabeça e falamos como se os que nos ouvem já estivessem a par do assunto.
  • Vou tentar lhe passar uma figura das coisas das quais estamos falando: Veja bem, as coisas espirituais são invisíveis, não são palpáveis; por isso tem que haver algo no sentido literal que sirva de parâmetro para um ensinamento espiritual.
Porquanto, DIGESTÃO é processamento bom ou o mau no aproveitamento que fizemos das frutas, dos alimentos os quais comemos; isto é uma equivalência para o bom ou o mau processamento no ENTENDIMENTO que temos das coisas que são de Deus

QUANDO, não entendemos espiritualmente as coisas que são de Deus, é uma equivalência de uma má digestão, pois estamos comendo apressados, os alimentos estão estragados ou eles não tem sustância.
E ainda para nos prejudicar vem o maligno chamado de deus deste século e nos rouba o pouco entendimento das coisas que são de Deus, como no artigo próximo passado do link abaixo para que você tenha um bom entendimento das coisas que estamos falando:
O ardil, a estratégia do maligno para nos desviar das coisas que são de Deus É NOS PRENDER  a algo que o Senhor não se agrada para obter exito na sua empreitada, como no artigo abaixo:

- Tá José, entendi agora como se dá o processo destas coisas, mas agora vamos voltar a má digestão que está em evidência. Tá!

- Sim, vamos então:

A MÁ DIGESTÃO - MATEUS 13:
Como faremos uma boa digestão se não damos crédito a pregação? - Como a entenderemos se não tiver quem nos ensine?
  • No caso do semeador de Mateus 13 temos uma boa evidência disso tudo:
  • QUANDO ouvimos a palavra Deus e não temos um aprofundamento nela, não teremos com isso o entendimento dela; disto se aproveita o maligno e nos rouba do coração a semente da palavra.
  • De uma outra forma quando não temos raízes, a palavra é de pouca duração por causa dos ventos da angústia e da perseguição, logo nos ofendemos.
  • E outrossim, é a palavra semeada entre os espinhos, onde até a ouvimos, mas os cuidados deste mundo e a sedução das riquezas, sufocam a palavra e ela fica sem frutificação.
  • Tem outros casos que fica só na emoção, conquanto, no outro dia não sabemos nem qual foi a palavra semeada.
A BOA DIGESTÃO;
São poucos os que têm esta boa condição de ouvir e guardar a palavra como Está Escrito (a):
Mas, o que foi semeado em boa terra é o que ouve e compreende a palavra; e dá fruto, e um produz cem, outro sessenta, e outro trinta. (Mateus 13:23)
-Ei José, veja bem se eu entendi corretamente a nossa conversa:

- Eu como o fruto da palavra; tenho que ter um bom aproveitamento dela, e depois EU É QUE TENHO QUE FRUTIFICAR como mostra a palavra dita pelo Senhor Jesus Cristo acima!

- Muito bem meu amigo João, o seu raciocínio foi perfeito segundo às Sagradas Escrituras, pois veja bem:
  • Quem é que vai trabalhar, gastar, usar o seu tempo e valores fazendo um belo de um pomar, se as árvores plantadas neste pomar que eram para serem frutíferas não dão o seu fruto no seu tempo?
- É verdade José, se fosse comigo eu já meteria o machado e colocaria todo esse pomar no chão.

- É quase isso João, é que nós estamos no tempo da graça, e neste tempo o Senhor é misericordioso para conosco, e nos dá muitas oportunidades de nos redimirmos do erro de não sermos frutíferos como no caso de Lucas:
"E disse ao vinhateiro: Eis que há três anos venho procurar fruto nesta figueira, e não o acho. Corta-a; por que ocupa ainda a terra inutilmente?"  (Lucas 13 : 7)
"E, respondendo ele, disse-lhe: Senhor, deixa-a este ano, até que eu a escave e a esterque;"  (Lucas 13 : 8)
"E, se der fruto, ficará e, se não, depois a mandarás cortar."  (Lucas 13 : 9)
- Olha José, gostei muito desta nossa conversa, pois as coisas vão se desenrolando como um novelo de lã; mas, agora posso lhe fazer uma pergunta que ainda me esquenta a cabeça na palavra de Mateus 3, onde diz que o machado já está na raiz da árvore que está para ser cortada, se a palavra e você estão dizendo que estamos no tempo da misericórdia, no tempo da graça, e que o Senhor nos dá muitas oportunidades?

- Olha João, Mateus 3 para você entender:
"Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento;"  (Mateus 3 : 8)
- A enfase dada nesta palavra por João Batista era para aqueles que conheciam a palavra do Senhor, mas não queriam se arrepender e deixar os seus maus caminhos. Neste caso, eles conheciam a verdade, dai não eram mais inocentes quanto a verdade das coisas divinas, por isso eles deveriam se arrepender rápido dos seus maus caminhos, pois o machado já estava ao pé da árvore (deles) para ser cortada.

- É bem parecido como o caso de Lucas 13!

O DAR FRUTO É A MÁXIMA NO REINO DE DEUS
- Bom José, já sei que se eu não der frutos dignos de arrependimento primeiramente, como poderei dar frutos apetecíveis secundariamente? 

- Não tem mesmo COMO SER UMA ÁRVORE ESCOLHIDA PARA DAR FRUTO E SÓ DAR FOLHAS como no caso da figueira em que o Senhor Jesus Cristo a amaldiçoou, e ela secou por não dar frutos para suprir a fome dos peregrinos.

- Isso mesmo mesmo meu amado amigo João, porque nós fomos escolhidos pelo Senhor Jesus Cristo para que déssemos frutos e o nosso fruto permanecesse:
Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda."  (João 15 : 16)
- Bom José, muito obrigado pela conversa que foi muito produtiva para mim. Vou procurar a ler e entender bem João 15, no caso dos galhos da videira QUE ESTÃO LIGADOS AO SENHOR JESUS CRISTO que estavam secos e não davam mais fruto, pois isso foram cortados e jogados no fogo; e aqueles que davam frutos, foram limpos para que dessem mais fruto ainda.

CONCLUSÃO:
O principal fruto que o Senhor espera de nós é o fruto do Espírito:
"Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança."  (Gálatas 5 : 22)
NO SABOR DAS PALAVRAS DO SENHOR JESUS CRISTO
Está a essência da vida eterna junto a Ele.

Para ser discípulo Dele tem que dar fruto (João 15:8), pois a glória do Pai em sua obra magistral em nós aparece quando demos muito fruto e o nosso fruto permanece, não caindo do galho em meio as dificuldades nas lutas do dia a dia, e nas perseguições. 

Não inchando (ufanando) e nem sendo de pouca duração.

NO SABOR DAS PALAVRAS, o fruto NÃO VIVE DA OBRA, mas VIVE SIM para a obra do Senhor Jesus Cristo.

Isto não quer dizer que temos que atar a boca do boi que debulha, mas sim NÃO usarmos A OBRA QUE É DELE para nos locupletarmos dela.

Os valores estão invertidos:

A conotação dada é que venha para O Senhor Jesus para viver bem materialmente e não espiritualmente.

Isto equivale a dizer que pensando assim o objetivo é o material e não o espiritual, porque: o material apenas é um efeito SECUNDÁRIO de uma boa vida espiritual, ONDE O BUSCAR PRIMEIRAMENTE O REINO DE DEUS E A SUA JUSTIÇA E AS DEMAIS COISAS NOS SERÃO ACRESCENTADAS é premissa a ser buscada como passaporte para a vida eterna com Cristo.

Porquanto, o materialismo  arraiga o homem na terra e o afasta do céu. Ele acaba deixando de ser peregrino nela, e passa a VIVER PRISIONEIRO DELA.

Porquanto, ainda são pelos seus frutos que se conhece a árvore:

"Ou fazei a árvore boa, e o seu fruto bom, ou fazei a árvore má, e o seu fruto mau; porque pelo fruto se conhece a árvore."  (Mateus 12 : 33)

Que árvore somos e que fruto estamos dando para o Senhor Jesus Cristo?