quinta-feira, 7 de maio de 2015

O EFEITO OCULTO NO USO DOS BRINCOS

Quando vemos um lindo frasco de perfume achamos que nele está uma das mais caras essências que podem agradar a quem quer que seja. O nosso desejo é possui-la, usar, agradar a si mesmo e a alguém que se aproxima de nós.

A embalagem chama pelos olhos, o perfume pelas narinas.

A embalagem e o perfume podem serem agradáveis, mas a essência conjunta destes nem sempre será.

Avaliamos o que vemos e sentimos, mas quase nunca medimos as consequências deles; o chamado efeito colateral.

Em muitos o perfume pode dar alergia, ressequimento de pele e outros males.

O produto pode ser agradável aos olhos do homem e da mulher, mas no seu âmago pode esconder efeitos indesejados e nocivos a sua saúde.

Da mesma forma quantas coisas podem nos serem agradáveis aos nosso olhos, mas, desagradáveis ao Senhor na nossa saúde espiritual?

O EFEITO COLATERAL DO BRINCO OU ARRECADA
É produzir encantamento a quem o usa, e assim amealhar para si atenções nem sempre condignas com a vontade Divina.

A vaidade é e sempre será o veículo que nos conduzirá a querermos atrair para nós às atenções de quem quer que seja; pois para tal propósito o efeito produzido será o do encantamento.


ENCANTAMENTO:

Como iremos comer uma laranja sem que se tire a casca? - Dizer a palavra encantamento é fácil, e até banal, mas, adentrar a a essência que o nome (casca) envolve, requer um aprofundamento na sua essência para que dela se tire o sabor desejado.

O que é encantamento? 
Sinônimo de encantamento
12 sinônimos de encantamento para 4 sentidos da palavra encantamento:
1 bruxaria, magia, feitiço, encanto.
2 delícia, maravilha, arrebatamento.
3 atrativo.
4 sedução, fascínio, fascinação, atração.
A palavra encantamento aparece também nas seguintes entradas:
dengue, admiração, simpatia, entusiasmo, talismã, êxtase, malefício, sortilégio, prisão, sonho, ofuscação, prestígio, contemplação, denguice, magnetismo, malfeito, rapto, dengo, vôo, atração

PORQUANTO, conforme a história dos brincos derivados de arrecadas, e ou antigamente chamados de arrecadas, tinham motivos amuléticos para proteger o usuário dos maus olhados. Isto é o usuário ficava encantado (feitiço) pelo uso amulético do brinco como se fosse uma áurea a proteger-lhe a vida.

CONQUANTO, os povos estrangeiros os usavam como deuses para lhes proteger de espíritos nocivos provenientes dos maus olhados.

Hoje a mesma joia está metamorfoseada na sua forma, e serve  para atrair "bons" e maus olhados.

O feitiço protegia amuleticamente os usuários dos maus olhados; agora quem olha os usuários ficam enfeitiçados por eles (as).

PORTANTO, os motivos amuléticos que produziam o encantamento são proporcionalmente os mesmos dos dias de hoje. 

O povo escolhido como santo difere dos povos estranhos com os seus ocultismos e encantamentos, pois o templo de Deus onde o Espírito Santo faz morada estaria fadado ou não a utilizar destes meios estrangeiros para chamar a atenção para si?

Quando lemos a história dos brincos na maioria dos seus prismas vemos nela algo envolvente mais do que o normal:


ENTRETANTO, porque o povo chamado de cristão não é orientado nestas questões para que ele por si possa decidir o que lhe é favorável junto a Deus?

Jacó os enterrou junto ao carvalho como deuses estranhos e o seu povo passou ileso ao grande perigo de vida ao qual foram expostos por Diná e seus irmãos (Gênesis 34 e 35).

Que o Senhor possa dar o devido entendimento ao seu povo.