sexta-feira, 7 de agosto de 2015

SER OU NÃO SER, EIS A QUESTÃO

Figura ilustrativa. Todos os méritos
pertencem ao seu autor.
A vida cristã tem o mundo como teatro, e o pano de fundo é a salvação.

Nela há atores que interagem entre o bem e o mal, entre o lume da luz e das trevas.

Quem sou eu no palco de então?

SER OU NÃO SER VERDADEIRAMENTE UM CRISTÃO
No fundo da alma repousa uma crucial decisão, na qual se quiser seguir ao Senhor Jesus Cristo piamente sofrerei perseguições, pois sei que por muitas tribulações nos importa entrar no reino dos céus.

O próprio Senhor nos disse que no mundo teríamos aflições.

O que mais nos aflige a alma é o negar a mim mesmo para poder carregar a cruz E OBTER A SALVAÇÃO.

Para seguir a Jesus os amigos irão embora, como muitos já foram; as traições estarão ao alcance da mão, e a rejeição sempre será o tema de ocasião.

A vida em Cristo é uma saga que se escreve com as marcas da cruz; perseverar com elas é um encargo em que muito poucos o carregarão atém o fim, pois quem perseverar até o fim é o que será salvo.

Há uma outra oferta no mundo de então, onde um evangelho light, humanista, materialista e sem transformação nos é ofertado em múltiplas formas, o qual é um prato cheio para os deleites da carne.

Este é um evangelho que satisfaz o meu ego, me integra com o mundo, e ainda permite participar do pão e do cálice, mas sei que estarei fora da inscrição no LIVRO DA VIDA, mas como se pode saber estarei escrito no LIVRO DA MORTE.

Aquele evangelho pregado pelo Senhor Jesus Cristo e pelos apóstolos, como disse o Paulo de Tarso, de maneira nenhuma poderia ser alterado por qualquer pessoa ou até por um anjo do céu, o qual seria chamado de anátema (maldito), aos olhos humanos é inconcebível nos dias modernos.

Estar no mundo com as suas fantásticas ofertas é uma mesa de difícil rejeição. Para ser peregrino nela é passar por ela sem me apegar a ela; no entanto, a grande maioria é avassaladora no lustro da maçã provocando o desejo de degustá-la.

A lei da oferta sufoca a procura, e a tão requerida santidade vai para o espaço num caminho tristemente sem volta.

O nosso amado Senhor Jesus Cristo, muito bem prenunciou que a porta seria apertada, e que o caminho seria estreito; e que nem todo aquele que dissesse Senhor, Senhor entraria no Reino dos Céus, mas "SOMENTE" AQUELE QUE FIZESSE A VONTADE DE SEU PAI que está nos céus.

A coisa é tão grave, justa e estreita que ATÉ AQUELE  que fizesse milagres e maravilhas no SEU NOME, poderá NÃO entrar NO REINO DO PAI pela prática da iniquidade.

Eu sei que basta eu mortificar a carne, me humilhar, amar a Deus e a meu próximo, O buscando e fazendo a Sua vontade já estarei hapto a receber o meu galardão.

Que se eu SIMPLESMENTE OLHAR PARA O SENHOR JESUS CRISTO, que é o autor e consumador da minha fé; sendo manso e humilde de coração ENCONTRAREI O DESCANSO PARA A MINHA ALMA.

No entanto, o que mais nos tira do rumo da salvação É QUE A VERDADE DÓI, ME LEVA A NEGAR A MIM MESMO, ME PRENDE, mas me ARREBATA PARA OS CÉUS; e já o outro lado as porteiras estão largamente abertas, e o perfume do prato aos olhos da carne é quase sem rejeição.

CONCLUSÃO:
ASSIM DISSE O SENHOR JESUS CRISTO: "Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito. Aquele que me ama, guarda a minha palavra"; e esta é de DIFÍCIL ABSORÇÃO.

O estar no caminho do meio (morno) é o mais facilzinho, pois o quente requer fervor, santidade e humildade.

MAS, SEMPRE HAVERÁ ESPERANÇA PARA UM CORAÇÃO QUE ABRE A PORTA para que ELE ENTRE e faça NELE MORADA.

A escolha é minha e sua entre o santo e o profano; entre o precioso e o vil e entre o puro e o impuro.

Está nas nossas mãos SER O NÃO SER VERDADEIRAMENTE UM CRISTÃO, EIS A QUESTÃO.

A escolha é só ENTRE NÓS E DEUS.

PARE, ESCUTE E PENSE, E O SENHOR vos esclarecerá.