sexta-feira, 30 de outubro de 2015

A SÍNDROME DE PILATOS

"ENTÃO PILATOS, vendo que NADA APROVEITAVA, antes o tumulto crescia, tomando água, LAVOU AS MÃOS diante da multidão, dizendo: Estou inocente do sangue deste justo. CONSIDERAI ISTO." Mateus 27:24

"E o sangue precioso do Senhor Jesus Cristo correu ao chão no alto do Calvário."

A pressão psicológica da maioria queria um mártir para a crucificação; Jesus Cristo fora o escolhido, pois aquele humilde carpinteiro de Nazaré pregava um evangelho que depunha contra o descaso, contra a omissão, a violência e a ingratidão.

Aquele humilde carpinteiro da pacata Nazaré pregava sobre a negação do eu mesmo, para poder segui-lo, levando cada um a sua cruz, para obter a salvação.

Pregação esta que entrava em choque com a elite, com às suas benesses; com as suas crenças,  com os seus primeiros lugares nas tribunas, conselhos, Templo e Sinagogas.

Era preciso silenciar aquela incomoda voz que abalava os alicerces do poder, do glamour e da  continuação sistemática das clãs reinantes.

Os pobres; pobres, pobres! - Eram inclusos na classe serviçal, nas estratégias de manobra, onde a sua vinha herdada do Pai era o alvo da cobiça.

No entanto, veio Jesus Cristo para se pôr por justiça ao injustiçado. E o tempo contou a história que nem o mais renomado escritor poeria imaginar, pois era preciso perseverar, ter uma posição mesmo que esta lhe seja contrária: "O JUSTO VIVERÁ PELA FÉ, E SE ELE RECUAR A SUA ALMA NÃO TEM PRAZER NELE".

Conquanto, aos recuados resta o opróbrio, e o triste destino da rejeição. Porém, aos perseverantes, uma incorruptível Coroa de Glória.

PILATOS detinha o poder e foi influenciado pela grande maioria; lavou suas mãos COMO SINAL DE UMA FALSA INOCÊNCIA enquanto que o Sangue de um Justo iria ser derramado.

Esquecera-se PILATOS que o poder estava nas suas mãos, e ele poderia mudar o curso da história.

PILATOS omitiu-se das SUAS RESPONSABILIDADES, por um peso de glória fugaz, passageira, mas no contexto geral inglória.

A síndrome de  Pilatos transpassa os anais da história, ecoando nos tempos, repercutindo no mundo A SUA TRISTE MEMÓRIA.

Até quando iremos omitir-nos daquilo que nos compete fazer, com uma falsa premissa que estamos LAVANDO AS MÃOS porque somos inocentes na trajetória?


Pare, pense e ore!