quinta-feira, 19 de novembro de 2015

PRISIONEIROS DA ALMA

FIGURA ILUSTRATIVA
Do seu autor são todos os méritos.
Muito além da imaginação está a prisão da alma.

O se o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres soa nos anais da vida como se estivéssemos presos só nas grades do isolamento externo por transgressões efetivadas, e não antes por transgressões adotadas nas grades do pensamento.

A verdadeira prisão começa no prender a alma por dentro para depois prender o corpo por fora.

O pensamento vicioso é um mal de difícil reparação, pois está preso na alma, que não admite a transformação.

As coisas quando efetivadas é porque foram pensadas mesmo que ainda que intempestivamente, são aquelas que vieram de dentro para serem consumadas por fora.


"Daquilo em que a boca fala é porque o coração está cheio dela."

A vida fácil, o prazer instantâneo, desconsidera a legalidade e dá enfase a impunidade. Isto equivale a dizer que comigo não irá acontecer; e o que eu faço não irá me comprometer.

"O eu saio a hora que quero é um ledo e triste engano."

A prisão do vício primeiramente está na satisfação da alma, que entra numa viagem praticamente sem volta, se esta alma não pular do bonde e cair nos braços do Senhor Jesus Cristo.

Daquilo que plantamos, é daquilo que vamos colher.
Se não cortarmos o mal pela raiz, este mesmo mal vai nos perverter.

Muitas vezes podemos até dizer: é só um copo de cerveja; com o tempo são as latas, as garrafas e os engradados; e o figado já está em estado adiantado de degeneração, e a cirrose a companheira de ocasião.

A porta dos vícios são abertas por pequenas e insignificantes coisas, as quais perdemos o controle, como uma nau sem leme no meio da tempestade, onde muitas das vezes estamos irremediavelmente descontrolados.

"As drogas sempre irão acabar com o drogado."

A prostituição e o adultério está num ouvir e em um olhar, no tocar e com isso consumar o pecado.

"Daquilo que alimentamos a alma é naquilo que vamos prende-la."

Os sentimentos estão a flor da pele, onde o importante é de estar no gosto da maioria, mesmo que tenhamos que sacrificar a minoria para aplacar nossos espaçosos desejos.

A alma está intimamente ligada ao espírito, e dependente dele. Se o nosso espírito estiver ligado a Deus na pessoa do amado Senhor Jesus Cristo, ela está submissa as ações do Espírito Santo para receber os benefícios da salvação.

No entanto, se nela estiver o espírito da carne, presa pela carne receberá a condenação (Romanos 8).

A alma é passageira da agonia, pois muito embora queira a salvação, pelos seus múltiplos desejos se encaminha na grande maioria das vezes para a perdição. Porquanto, muitos são os chamados, mas poucos os escolhidos.

"A prisão da mentira tem desfeito o que o Senhor ajuntou, pois o pai da mentira o desvirtuou; pois muitos mentindo se perderão."

Tantas são as coisas que nos prendem, como: Redes Sociais, WhatsApp's, pornografias, novelas (figura: dá um nó e vela) e afins que se não nos libertarmos interiormente daquilo que nos prende, vivendo só exteriormente ficaremos eternamente presos.

Nunca poderemos esquecer que somos o templo do Espírito Santo; e que não somos de nós mesmos, mas do nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos comprou com o seu Sangue Puro na Cruz do Calvário onde estávamos vendidos pelo nosso pecado.

"Portanto, se o Filho nos libertar, verdadeiramente seremos livres."

QUESTÃO: O que nos prende é o Senhor Jesus Cristo, e ou a vaidade, nas permissividades?

"Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso espírito, para que possais discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, o que lhe agrada e o que é perfeito. Romanos 12:2"

Assim nos veio, assim o escrevemos.