sábado, 22 de abril de 2017

ABORTO - MANIFESTO AO SUPREMO TRIBUNAL DA CONSCIÊNCIA

AS SUAS EXCELÊNCIAS:


AOS MAGISTRADOS DA CONSCIÊNCIA

A procura da ciência na preservação da VIDA ecoa nos anais do tempo chegando aos primórdios da civilização humana.

A qualidade de VIDA, a longevidade é uma busca que não se pode parar; pois está intimamente ligado ao direito mais sublime - VIVER!

Grandes homens e mulheres tiveram os seus nomes escritos na história da VIDA, porque UM DIA NASCERAM, cresceram, foram expoentes em suas comunidades, em seus países, e ou até a nível mundial.

O devido respeito ao TEMPO DE NASCER e de morrer está determinado por Deus, e consignado a todos aqueles que ouvem a sua voz, lhe prestam culto, e a devida obediência. 

PORQUANTO A ORDEM É ESSA:

Não matarás. Êxodo 20:13

A nação Brasileira reconhecendo o valor incalculável do Senhor nosso Deus, o homenageia nas suas cédulas monetárias com a célebre frase do "Deus seja louvado".  E eternamente O será, porque: nós sabemos que SEM ELE NA PESSOA AMADA DO SENHOR JESUS CRISTO, NADA PODEMOS FAZER.

No entanto, no BRASIL está entrando em discussão O ABORTO, como tivéssemos o direito arbitrário de determinar de QUEM VAI VIVER, e ou quem vai morrer.

ABORTO: Um aborto, ou interrupção da gravidez é a remoção ou expulsão prematura de um embrião ou feto do útero, resultando na sua morte ou sendo por esta causada.

https://www.google.com.br/webhp?sourceid=chrome-instant&ion=1&espv=2&ie=UTF-8#q=ABORTO
A enfase a morte legalizada, extrapola covardemente o direito a vida DAQUELES QUE NÃO TEM O SAGRADO DIREITO DE VIVER, E NEM COMO SE DEFENDER.

No silêncio, OS INOCENTES "irão" como ovelhas mudas ao matadouro, pelas mãos de quem os devia ajudar a nascer; AMPARADOS "PELAS LEIS"  que deveriam lhe dar O SAGRADO DIREITO DE VIVER.

"SE" isto INFELIZMENTE acontecer, O NÃO MATARÁS estará morto, e o juízo divino AVIVADO.


O JUIZ E O JUÍZO

O juiz decide pelas leis do justo juízo; sem isto legislaríamos a nosso bel-prazer; a jurisprudência não existiria, e os casos em ocasos se diluiriam.

Somos leigos na profundidade dos direitos civis, mas no da lei divina o caso já está julgado, e a jurisprudência ajuizada nos diz que: o aborto é assassinato.

Não matarás é o juízo; e quem o fizer deliberadamente, nos diz que aquilo que plantamos, daquilo vamos colher.

Quem semeia o vento, colherá tempestades; quem semeia a paz colherá a Bonanza na prosperidade.

O tempo do arrependimento, é  o período determinado pelo Senhor nosso Deus para que as custas sejam amenizadas, mas a sentença não será mudada; pois dai a César o que é de César e a Deus o que é Deus.

A confissão na inocência é o que o que ameniza a causa.

O JUIZ JEFTÉ

A Bíblia Sagrada registra nos seus anais um grande exemplo daquilo que estamos tentando explicar como subsídio escriturado.

Se Jefté fosse abortado por ser filho de uma prostituta, não seria valoroso e nem um dos Juízes de Israel.

Era então Jefté, o gileadita, homem valoroso, porém filho de uma prostituta; mas Gileade gerara a Jefté.  Juízes 11.1 

Jefté (hebraico./aramaico. יפתח Yiftah / Yipthaχ) é um personagem do Antigo Testamento que foi um dos Juízes de Israel por um período de seis anos (Juízes 12:7) entre a conquista de Canaã e o primeiro rei. Jefté viveu em Gileade e foi um membro da Tribo de Gades (Josué 12:1,6 e 13:1). Na divisão das terras de Israel, a tribo de Gade ( 7º filho de Jacó) ficou com a terra além do Jordão, a terra de Gileade. O nome de seu pai era também Gileade. 
O mesmo se diria que se Jefté fosse filho de um prostituto e a sua mãe o quisesse abortar, ele da mesma forma não seria valoroso e nem um dos juízes de Israel. 

MANIFESTO AO TRIBUNAL DA CONSCIÊNCIA 

Quando colocamos na balança da justiça da consciência o a ser morto, se faz justiça ao injustiçado.

O aborto é a cruel sentença do inocente injustiçado.

Apelamos a suprema corte clamando pelo direito à vida; daqueles que vão ao matadouro como ovelhas mudas, sem defesa e sem guarida.

Quem se cala, consente; se não abrirmos a nossa boca, consentimos o morticínio.

Ainda é tempo de empenharmos os nossos esforços por uma tão nobre causa; de trabalharmos pela consciência até que sejamos ouvidos pelos ouvidores da lei.

Se estou vivo é porque não fui abortado, ou ainda não morri, nem fui sentenciado.

Pare e pense.

O juiz é ainda a sua consciência; no entanto, horrenda coisa é cairmos no juízo e na condenação do SUPREMO JUIZ DO UNIVERSO.

PORQUANTO: Feliz é a nação cujo Deus é o Senhor, e o povo o qual Ele escolheu para sua herança.